Tamiris Cerqueira, Advogado

Tamiris Cerqueira

(11)Rio de Janeiro (RJ)
15seguidores8seguindo
Entrar em contato

Sobre mim

advogada
Advogada, pós graduada em direito penal e processual penal, sócia do escritório Tamiris Cerqueira advocacia, que conta com advogados associados, capazes de orientar o cliente juridicamente e prontos para conduzir os processos patrocinados, com zelo, comprometimento e segurança.
www.cerqueiraadvocacia.com.br

Principais áreas de atuação

Direito Penal, 14%
Direito do Consumidor, 14%
Direito Processual Penal, 14%
Direito Militar, 14%
Outras, 44%

Primeira Impressão

(11)
(11)

11 avaliações ao primeiro contato

Direito Civil

Direito Imobiliário

Direito Penal

Direito de Família

Direito do Consumidor

Comentários

(8)

Recomendações

(6)
Wagner Francesco ⚖, Estudante de Direito
Wagner Francesco ⚖
Comentário · há 2 anos
Seu comentário, assim como o seu texto que originou o debate, são excelentes e bem fundamentados - como tudo deve ser. Por isto não há motivos para pedir desculpas, pois eu fico satisfeito depois por ter lido tudo isto.

Eu ainda continuo achando que a violência do moço não pode ser enquadrada como doméstica, mas acho isto por teimosia e não por falta de excelente explicação que a senhora deu. =D

Permita-me discordar deste ponto: "Nesse caso, a agressão decorreu do sentimento de posse e perda e, assim, evidente que trata-se de violência doméstica."

Penso eu que não é bem assim. O sentimento de posse, que é motivada pelo ciúme, é um sentimento global, geral, e que acontece não somente numa relação marido e mulher e o primeiro dominando sobre a segunda, mas um sentimento entre amigos, entre patrões e empregados, entre dois homens e duas mulheres. Mas é bom lembrar também que o ciúme não é necessariamente um sentimento de posse - e Freud cita vários tipos de ciúmes no livro de 1922 chamado "Alguns mecanismos neuróticos no ciúme, na paranóia e no homossexualismo". O que motivou a violência daquele moço contra a mulher não foi um sentimento de posse, mas o desastre que é ser traído e enganado. Não foi por ela pertencer a ele, mas por ele próprio não se encontrar diante daquela situação.

A lição disto tudo é justamente o que a senhora falou: a possibilidade de divergência. Eu acho que nós deveríamos tentar não convencer o outro que nossa conclusão é a verdadeira, mas a de que chegamos à nossa conclusão de forma responsável. E estou plenamente convicto de que a senhora chegou responsavelmente à conclusão que chegou e eu também. rs

Um grande abraço!

Perfis que segue

(8)
Carregando

Seguidores

(15)
Carregando

Tópicos de interesse

(2)
Carregando
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

Outros advogados em Rio de Janeiro (RJ)

Carregando

ANÚNCIO PATROCINADO

Tamiris Cerqueira

Rua Frederico Méier, 11 - Rio de Janeiro (Estado) - 20780-010

(21) 3086-14...Ver telefone

(21) 97525-10...Ver telefone

Entrar em contato